Validação do Patient Assessment of Chronic Illness Care (PACIC) em diabéticos brasileiros

Autores

  • Fabiana Arruda Xavier de Castro escola de enfermagem de ribeirão preto
  • Carla Regina de Souza Teixeira Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto http://orcid.org/0000-0002-8887-5439
  • Plinio Tadeu Istilli Escola de enfermagem de ribeirão preto
  • Ana Carolina Guidorizzi Zanetti escola de enfermagem de ribeirão preto
  • Tania Alves Canata Becker escola de enfermagem de ribeirão preto
  • Fabio Araujo Almeida University of Nebraska

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v11i2.2400

Palavras-chave:

Atenção primária, Diabetes, Estudos de validação, coleta de dados

Resumo

Objetivo: validar o instrumento Patient Assessment of Chronic Illness Care (PACIC) em pacientes diabéticos no Brasil. Métodos: Trata-se de um estudo metodológico que incluiu 85 pacientes com diabetes tipo 2 no interior paulista. A análise fatorial utilizou-se o método com rotação ortogonal Varimax. Para a análise de correspondência utilizou-se o teste de qui-quadrado. A consistência interna foi verificada pelo alfa de Cronbach. Resultados: O instrumento apresentou alfa de Cronbach de 0,84, sendo que o terceiro domínio Estabelecimento de Metas/Adaptação apresentou o menor valor de alfa de Cronbach 0,78. Quanto à correspondência, o questionário separado por domínios, mostrou que as respostas aos itens sobre questionamento da opinião do paciente sobre o tratamento, receber uma cópia do tratamento, o profissional entrar em contato após a consulta e o encaminhamento ao profissional nutricionista foram avaliados como nunca realizados. Na análise fatorial houve a retenção de cinco fatores. Conclusões: A versão brasileira do PACIC é válida e reprodutível com diabéticos brasileiros e pode auxiliar na avaliação da qualidade da assistência de pessoas com condições crônicas.

Biografia do Autor

Fabiana Arruda Xavier de Castro, escola de enfermagem de ribeirão preto

mestranda em Ciências junto ao Programa de Pos Graduação Enfermagem Fundamental da EERP-USP

Carla Regina de Souza Teixeira, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto

professora associada do departamento de enfermagem geral e especializada da escola de enfermagem de ribeirão preto da Universidade de são paulo

Plinio Tadeu Istilli, Escola de enfermagem de ribeirão preto

doutorando em Ciências junto ao Programa de Pos Graduação Enfermagem Fundamental da EERP-USP

Ana Carolina Guidorizzi Zanetti, escola de enfermagem de ribeirão preto

professora doutora junto a escola de enfermagem de ribeirão preto-USP

Tania Alves Canata Becker, escola de enfermagem de ribeirão preto

doutora em Ciências junto ao Programa de Pos Graduação Enfermagem Fundamental da EERP-USP

Fabio Araujo Almeida, University of Nebraska

Professor of the University of Nebraska Medical Center, Department of Health Promotion, Social & Behavioral Health. Omaha, NE, USA

Referências

Análise de Situação de Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022.Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2011. 148 p.

Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família [Internet]. 1.ª ed. Brasília, DF: All Type; 2012 [acesso em 2016 dez.01]. Disponível em: http: http://apsredes.org/pdf/Redes-de-Atencao-condicoes-cronicas.pdf

World Health Organization. Department of Noncommunicable disease surveillance. Global status report on noncommunicable diseases 2014. Geneva: World Health Organization: 2014; 176 p.

Schmidt MI, Duncan BB, Silva GA, Menezes AM, Monteiro CA, Barreto SM, et al. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: carga e desafios atuais. Lancet.2011;377(9781): 1949-1961.

Shaw JE, Sicree RA, Zimmet PZ. Global estimates of the prevalence of diabetes for 2010 and 2030.Diabetes Res Clin Pract.2010; 87 (1): 4-14.

Sociedade Brasileira de diabetes. Diretrizes da Sociedade Brasileira de diabetes 2015-2016. São Paulo: Ac farmacêutica; 2016.348p.

Klafke A, Duncan BB, Rosa RS, Moura L, Malta DC, Schmidt MI. Mortalidade por complicações agudas do diabetes melito no Brasil, 2006-2010. Epidemiol. serv. saúde.2014; 23(3):455-462.

Glasgow RE, Wagner EH, Schaefer J, Mahoney LD, Reid RJ, Greene SM. Development and validation of the Patient Assessment of Chronic Illness Care (PACIC). Med Care.2005;43 (5): 436-44.

Fan J, McCoy RG, Ziegenfuss JY, Smith SA, Borah BJ, Deming JR, et al. Evaluating the Structure of the Patient Assessment of Chronic Illness Care (PACIC) Survey from the Patient’s Perspective. Ann. behav. med.2015; 49 (1): 104-11.

Aung E, Ostini R, Dower J, Donald M, Coll JR, Williams GM, et al. Patient Assessment of Chronic Illness Care (PACIC) in Type 2 Diabetes: A Longitudinal Study. Eval. health prof.2014; 39(2):185-203.

Drewes HW, Til JTJ, Struijs JN, Baan CA, Tekle FB, Meijboom BR, et al. Measuring chronic care management experience of patients with diabetes: PACIC and PACIC validation. Int J Integr Care.2012; 12: 1-11.

Landim, CAP. Adaptação cultural para o Brasil e Portugal do instrumento Patient Assessment of Chronic Illness Care (PACIC). [Tese] [internet]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem; 2012. [Acesso em 2016 dez.01]. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-17042013-144940/pt-br.php

Groff DP, Simões PWTA, Fagundes ALSC. Adesão ao tratamento dos pacientes diabéticos tipo II usuários da estratégia saúde da família situada no bairro Metropol de Criciúma, SC. Arq. Catarin. Med.2011;40(3):43-48.

Becchi AC, Fertonani HP, Fagundes CPJ, Marcon SS, Almeida EFA, Mendonça PR. Evaluation of a group intervention: quality of life and autonomy in users with diabetes mellitus. J Nurs UFPE.2014;8(10): 3369-76.

Silva ASB, Santos MA, Teixeira CRS, Damasceno MMC, Camilo J, Zanetti ML. Avaliação da atenção em diabetes mellitus em uma unidade básica distrital de saúde. Texto & contexto enferm.2011; 20(3): 512-8.

World Health Organization. Cuidados inovadores para condições crônicas: componentes estruturais de ação: relatório mundial. Geneva: World Health Organization: 2003; 105 p.

Kassahun A, Gashe F, Mulisa E, Rike WA. Nonadherence and factors affecting adherence of diabetic patients to anti-diabetic medication in Assela General Hospital, Oromia Region, Ethiopia. J Pharm Bioallied Sci.2016; 8 (2): 124-9.

Hornick T, Aron DC. Preventing and managing diabetic complications in elderly patients. Clevel. Clin. J. Med.2008; 75 (2): 153-8.

Alharbi NS, Alsubki N, Jones S, Khunti K, Munro N, Lusignan S. Impact of Information Technology-Based Interventions for Type 2 Diabetes Mellitus on Glycemic Control: a Systematic Review and Meta-Analysis. J. med. internet res.2016; 18(11):1-11.

Becker, TAC. O uso do suporte telefônico no controle metabólico de pessoas com diabetes mellitus no Distrito Oeste de Saúde do município de Ribeirão Preto – SP [Tese] [internet]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem; 2014. [Acesso em 2016 dez.01]. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-09022015-195419/pt-br.php

Hunt CW. Technology and diabetes self-management: An integrative review. World J Diabetes. 2015; 6 (2): 225-33.

Tapp H, Phillips SE, Waxman D, Alexander M, Brown R, Municipal M. Multidisciplinary team approach to improved chronic care management for diabetic patients in an urban safety net ambulatory care clinic. J. am. board fam. med.2012; 25 (2): 245-6.

Teixeira CRS, Zanetti ML. O trabalho multiprofissional com grupo de diabéticos. Rev. bras. enferm.2006; 59(6): 812-7

Olivatto GM, Teixeira CRS, Pereira MCA, Becker TAC, Marques JVP, Hodnik PP. Programa de Apoio Telefônico para o Monitoramento do Diabetes Mellitus: Satisfação e Controle Glicêmico. Ciênc. Cuid. Saúde.2014;15(1):148-154.

Publicado

2018-03-10

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS