Socio-enviromental impacts on the health situation of the brazilian population: Study of indicators related to inadequate enviromental sanition

Guilherme Franco Netto, Carlos Machado de Freitas, José Paulo Andahur, Marcel de Moraes Pedroso, Daniela Buosi Rohlfs

Resumo


Nestes 20 anos do SUS, a saúde ambiental deve ser compreendida como uma área recente no SUS e integrante de uma Saúde Pública renovada, para a qual a compreensão e análise dos determinantes socioambientais e seus impactos sobre a saúde é de grande importância para a formulação de políticas públicas abrangentes e intersetoriais. Neste texto, como parte deste desafio de renovação e consolidação do
SUS nos propomos construir uma matriz lógica que auxilie a análise dos dados e subsidie os processos decisórios, tendo como referência indicadores selecionados relacionados ao saneamento ambiental inadequado, que ainda reflete um complexo quadro de exclusão social combinado com novos problemas e desafios de saúde. A metodologia adotada foi a do modelo forças motrizes-pressões-situação-exposição efeitos-ações adotada pela OMS. Os resultados apontam para três cenários em que os determinantes sociais e ambientais resultam em perdas de bem-estar, qualidade de vida e doenças relacionadas ao saneamento ambiental inadequado, com simultâneas combinações e sobreposição de riscos e impactos sobre a saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v3i4.745



Direitos autorais

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________