QUEM SÃO OS NOVOS SANITARISTAS E QUAL SEU PAPEL?
PDF

Como Citar

Bezerra, A. P. dos S., Andrade, B. B. L. de, Batista, B. S., Reis, C. R., Arenhart, C. G. M., Parente, C. G., Souza, C. C. de, Albino, D. F. E., Menezes, G. H. T., Morais, I. de A., Mota, J. C., Araya, J. F. B., Guimarães, J. P., Jesus, K. C. de, Martins, L., Arruda, L. C., Martins, M. da R., Rosa, M. M. de M., Besa, R. F., & Veiga, V. C. F. (2013). QUEM SÃO OS NOVOS SANITARISTAS E QUAL SEU PAPEL?. Tempus – Actas De Saúde Coletiva, 7(3), Pág. 57-62. https://doi.org/10.18569/tempus.v7i3.1393

Resumo

Embora Sanitarista seja uma especialidade antiga no Brasil, a clássica formação de sanitarista responde apenas parcialmente aos novos desafios do processo de Reforma Sanitária Brasileira, em curso. A construção do SUS, a partir de 1993, passou a demandar inovações diversas (inclusive no âmbito técnico-organizativo e gerencial) e impôs a reconceituação das práticas da Saúde Pública institucionalizada, a reconfiguração dos processos de trabalho em saúde, do agente-sujeito e, por conseguinte, da formação dos profissionais que atuam neste campo. O presente artigo tem por objetivos apresentar uma revisão acerca do processo de “determinação social da saúde e da doença”, focalizando três modelos explicativos, e refletir sobre a relevância da formação do Sanitarista na graduação, explicando o porquê desse novo perfil profissional. A formação do Sanitarista em nível de graduação ainda é bastante recente e, por isso mesmo, desconhecida de grande parte do público em geral. Mesmo os demais profissionais de saúde têm dúvidas sobre quais papeis o bacharel em Saúde Coletiva pode desempenhar.
https://doi.org/10.18569/tempus.v7i3.1393
PDF

Referências

Arellano OL, Escudero JC, Moreno LDC. Los determinantes sociales de la salud: uma perspectiva desde el Taller Latinoamericano de Determinantes Sociales sobre la Salud

ALAMES.

CEBES. Rediscutindo a questão da determinação social da saúde - Termo de referência para do CEBES 2009. Disponível em: http://www.cebes.org.br/media/File/

Blog/DETERMINANTES%20SOCIAIS_ok.pdf

Commission on Social Determinants of Health - Final Report. WHO; 2008.

As causas sociais das iniquidades em saúde no Brasil. Relatório da CNDSS, FIOCRUZ; 2008.

Almeida-Filho N. Modelos de determinação social das doenças crônicas não transmissíveis. Ciênc. saúde coletiva 2004; 9(4): 865-884.

FGSC/ABRASCO. Sanitarista graduado: um elo que faltava na

rede – Termo de Referência da VI Reunião do Forum de Graduação em Saúde Coletiva. [S. l.]: ABRASCO; 2013.

Paim JS. O objeto e a prática da saúde coletiva: o campo demanda um novo profissional? Interface. Comunic, Saúde, Educ, 2003;7(13):167-70.

Ceccim RB. Inovação na preparação de profissionais de saúde e a novidade da graduação em saúde coletiva. Bol. Da Saúde, 2002;

(1).

Paim JS, Bosi ML. Graduação em Saúde Coletiva: subsídios para um debate necessário. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, fev 2009; 25(2):236-237.

Teixeira CF. Graduação em Saúde Coletiva: antecipando a formação do Sanitarista. Interface. Comunic, Saúde, Educ, ago 2003; 7(13):163-6.